Quem sou eu

Minha foto
São Carlos, SP, Brazil
Sou alguém que,ao conhecer a fé raciocinada,pôde realmente compreender as vontades de Deus e os ensinamentos do Cristo,embora seja ainda errante,tenho vontade de aprender cada dia mais. "Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim." ( Chico Xavier ) Sejam todos bem vindos!!!

sábado, 31 de julho de 2010

O PODER DA PRECE


Uma das mais expressivas mensagens de Jesus encontra-se no evangelho de Marcos, capítulo XI, v.24: "O que quer seja que pedirdes na prece, crede que o obtereis, e vos será concedido."

É a famosa expressão: "pedi e obtereis".

Entretanto, muitas pessoas, incluindo membros de ordens religiosas, inclusive espíritas, têm dificuldade de acreditar na eficácia da prece. Isto ocorre porque talvez não saibam realmente o que é uma prece.

O estudo da doutrina espírita permite adquirir visão mais clara do poder da oração e dos pedidos ao Pai celestial.

O grande objetivo desta doutrina é a reforma íntima de seus adeptos, particularmente a elevação da qualidade da maneira de pensar.

Na questão de número 459 de " O Livro dos Espíritos" , Kardec nos explica que vivemos constantemente sob a influência dos habitantes do mundo espiritual.

Existe um intercâmbio intenso entre nós, espíritos encarnados, e aqueles já desencarnados.

Estes, habitantes do plano espiritual, podem ser evoluídos ou ainda se encontrarem em estágios inferiores da evolução.

A prece permite obter a influenciação da parcela mais evoluída e mais amorosa do mundo espiritual. Segundo Kardec, a prece é uma invocação, através da qual um ser se coloca em comunicação mental com outro ser, ao qual se dirige. Pode ter como objetivos fazer pedidos ou agradecimentos ou simplesmente para glorificação de Deus, em ato de humildade.

Segundo vários autores, o governo espiritual é muito bem organizado e se preocupa com o bem estar e o progresso dos espíritos encarnados. Existem numerosas equipes que vivem para socorrer.

As preces dirigidas a Deus são ouvidas pelos espíritos encarregados da execução das suas vontades.

Podemos orar para outros seres, na qualidade apenas de intermediários. Mas, Deus é o grande receptor das vibrações das preces. É a autoridade maior, absoluta e amorosa.

Para entendermos os mecanismos de ação da prece precisamos lembrar que nos encontramos mergulhados no que Kardec denominou de fluido cósmico universal, que ocupa todos espaços do universo. Este fluído recebe os impulsos da vontade. Ele é o veículo das vibrações do pensamento, como o ar é o veículo das vibrações do som. A diferença está no fato de que no ar as vibrações sonoras são limitadas. No fluído cósmico universal as vibrações do pensamento se estendem ao infinito.

Assim, as preces sempre são ouvidas pelos espíritos em quaisquer lugares onde se encontrem. Víctor Hugo refere-se aos "centros de registros e avaliação das rogativas humanas " espalhados pelas províncias próximas da Terra, que recebem as solicitações, examinam a importância e urgência dos pedidos, respondendo conforme o caso.

O espírito Patrícia nos informa que em todas colônias espirituais, espalhadas pelo mundo espiritual em torno da terra, existe um "Departamento de pedidos" em que cada prece é anotada, analisada e classificada para se decidir sobre seu atendimento.

Víctor Hugo explicou que o espírito que ora, emite vibrações teledinâmicas que se dirigem ao mundo espiritual e retornam para este mesmo espírito. O benefício da prece pode ser instantâneo, no momento exato da prece, por receber ondas benéficas, reconfortantes e de pensamento otimista. A vibração da mente em oração sincroniza com as ondas teledinâmicas do mundo espiritual superior, atraindo atenção e interesse dos espíritos encarregados do equilíbrio na terra.

A prece harmoniza o tom vibratório do indivíduo, revitaliza o metabolismo perispiritual, reorganizando o campo das moléculas, resultando em ação salutar.

Assim a prece evita doenças originárias de vibrações desorganizadas da mente desequilibrada.

Recentemente, a imprensa brasileira divulgou resultados de estudos que concluíram que, pessoas acostumadas à prática da oração gozam de mais saúde.

Na realidade os efeitos benéficos da prece podem ser observados no indivíduo, nas pessoas que com ele mais se relacionam e no ambiente que fica mais harmonizado, com psicosfera balsâmica, agradável e calmante.

De fato é agradável o ambiente de templos, de mosteiros e de casas espíritas onde se pratica a prece autentica.

Os locais de oração são bem vistos pelo plano espiritual.

Entretanto é importante lembrar que o poder da prece está no pensamento.

A energia da corrente depende do vigor do pensamento e da vontade de quem ora.

Ela não depende de palavras, de vestimentas, nem de cerimoniais. Preces decoradas, sem sentimento, são pouco eficazes.

Mas, a prece não pode ter por efeito mudar os desígnios de Deus, nem derrogar as leis divinas. Entretanto, o espírito que ora encontra sempre alívio, conforto e forças para viver as experiências de que necessita para sua evolução.

A prece é importante para tudo. Ajuda no trabalho. Socorre na família. Serve para apaziguar inimigos, arrefecer adversários e tornar agradáveis pessoas antipáticas.

Ao invés de combater deveríamos orar.

A prece quebra a desarmonia. Fazer uma súplica a Deus pelo bem estar de um inimigo, seria mostra de boa disposição para seguir a Jesus, que pediu que déssemos amor para nossos inimigos.

Segundo Víctor Hugo "Orar é inundar-se de forças poderosas do mundo invisível para atuar com segurança no mundo das formas visíveis".

Menciona esse habitante iluminado do espaço, o chamado efeito bumerangue de nossos atos e pensamentos: as vibrações que emitimos retornam para nós, às vezes com intensidade maior. Vibrações de ódio e desequilíbrio retornam avassaladoras . A prece amorosa retorna calmamente , confortadora .

Precisamos nos educar para o hábito da prece antes de dormir , no lar , no trabalho . Ao trabalhar com amor , ao servir com desvelo, estamos fazendo a vontade do pai. É oração .

Joanna de Ângelis recomenda que seria ótimo se conseguíssemos viver sempre em estado de prece. Seria uma grande reforma intima . imprimir em nosso pensamento teor vibratório permanente de equilíbrio, de paz, de amor, de prece..

Bibliografia:


KARDEC, Allan - O Evangelho segundo o Espiritismo. Capítulo XXVIII, IDE, 185ª. Edição, 1978
Divaldo P Franco/Vítor Hugo - Calvário de libertação. Segunda Parte, capítulo 2. L.E.Alvorada - Editora, 3ªedição. 1988.
Divaldo P. Franco/Joanna de Angelis. Lampadário Espírita
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho/ Patrícia - Vivendo no Mundo dos Espíritos Cap XIII. Petit Editora e Distribuidora. 6a Reimpressão - 1994.


*José Brandão Fonseca é membro do GEFEC - UENF( Grupo de Estudo da Filosofia Espírita Cristã, da Universidade Estadual do Norte Fluminense ).

Fonte: http://revistaespirita.hypermart.net

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A VINGANÇA SEGUNDO O ESPIRITISMO


A VINGANÇA
Em mais uma de suas esclarecedoras lições, trazidas ao nosso conhecimento a través da psicografia de Divaldo Pereira Franco, a benfeitora Joanna de Angelis nos instrui sobre a ação maléfica da vingança sobre nosso vaso físico, com repercussão no espírito imortal que somos.
Começa dizendo que quando algo perturbador acontece, gerando sofrimento ao indivíduo, a sua imaturidade psicológica se sente ameaçada, por algo muito forte, que mesmo raciocinando conscientemente, não consegue se desvincular das manifestações desconhecidas que traz, armazenadas em seu inconsciente, a lhe exigir reparação, desforra, e até mesmo a aniquilação do seu opositor.
Inicia-se então neste instante, uma acirrada disputa entre o seu lado racional, procurando resistir a esse tipo de atitude, por identificar essa falha do caráter, e o seu lado irracional, revestido de toda sua bagagem sombria de manifestações inesperadas, e inconseqüentes, desconhecida da personalidade do indivíduo que lhe aflora, armando verdadeiras ciladas, atirando o ser nos despenhadeiros da vingança de conseqüências funestas.
Esses impulsos doentios, emergem de áreas desconhecidas do ego, que não conseguem identificação com o Ser espiritual e induze-o, a um trabalho de desenvolvimento perseverante da odiosidade, instaurando-lhe no imo, a revolta e o desconforto ante o opositor que se lhe apresenta como um perigo constante para sua segurança, merecendo por isso ser destruído.
O fenômeno ocorre, tanto individualmente com as pessoas como com as Nações, dando nesse caso ensejo ao desencadeamento das guerras nefastas e hediondas, que prejudicam gerações deixando seqüelas lastimáveis em suas vítimas.
No indivíduo, esse comportamento provoca o perverso mecanismo conflitivo, que o leva ao desespero, e mesmo quando o outro já não mais lhe representa perigo algum, mesmo depois de se render ou ser aniquilado, os efeitos desastrosos da vingança não desaparecem frustrando a quem aparentemente estaria vitorioso.

Ação danosa da vingança

Invariavelmente neurótico, o enfermo indivíduo que assim age, vitimado quase sempre pela repressão sexual infantil ou, dominado pela sede do poder e da ambição, vive a competir com os demais, os quais passa a invejar por se encontrarem em melhores situações psicológicas que a dele, podendo em certos casos até aceitá-los enquanto os manipulam, tirando dessa forma proveito da situação, até que se ergam, quando então mostram suas garras nas lutas com os recursos da tirania e da insensatez. A vingança é transtorno neurótico soez, que liberta do inconsciente as forças desordenadas que jazem aí adormecidas, irrompendo com ferocidade e ligeireza sob o estímulo do aniquilamento do inimigo.
Curioso é notar, que o inimigo não é aquele que se torna combatido, mas o inconsciente transfere dos refolhos d’alma a inferioridade do seu Ser, que é inimigo do progresso, do bem, da ordem, para atirar noutrem, em fenômeno de projeção e que guarda internamente, detestando-o.
Ao armar-se de calúnia e de outros mecanismos de perseguição, contra aquele a quem odeia, está realizando uma luta inconsciente contra si mesmo, pois que está apenas projetando o lado escuro e sombrio da sua personalidade que se lhe mantém preso à ignorância.
Fixa-se no adversário com implacável disposição de conseguir a sua extinção, do que para ele dependerá sua liberdade a partir desse momento em diante. Assim transtornado aplica-se com empenho em emitir ondas deletérias contra o outro, estabelecendo uma comunicação psíquica, se encontra receptividade em quem lhe padece a perseguição, que termina por minar as forças daquele que considera seu opositor.
Além da inferioridade moral que tipifica o vingador, o seu primarismo emocional elabora razões ponderadas que são arquitetadas pala mente em desalinho, para justificar o prosseguimento da façanha, nascidas no inconsciente pessoal profundo, que remanescem de outras existências no Eu profundo do Ser, quando se desarmonizou com o opositor que ora enfrenta e desafia para o duelo covarde.
Em outras oportunidades, em que sua inferioridade se projeta, e não se sente devidamente capaz de competir contra valores significativos que não possui, cultiva internamente a antipatia que se avoluma a cada dia, transformando-se em fúria incontrolável que somente se aplaca quando está lutando contra aquele que o atormenta mesmo que este não saiba, que nada tenha contra ele, pois que até ignora a situação infeliz de seu oculto adversário.
Se por acaso, tiver a oportunidade de se harmonizar com o inimigo, não o perdoa interiormente, embora, seja na verdade, o maior merecedor de perdão ruminando o que considera sua derrota, até encontrar novos argumentos para dar prosseguimento à sanha doentia de vingança, impelido pela sua libido atormentada.
Aqueles que se apóiam em mecanismos vingativos sempre foram vitimas de repressão infantil e juvenil, sentiram-se desprezados pelo grupo social e transferem agora suas frustrações para quaisquer outros, desde que isto lhes transformem em pessoas portadoras de poder e ambiciosos dirigentes de qualquer coisa, em que a personalidade doentia passa a ser homenageada, fruindo de destaque, embora a conduta esquizóide, maneirosa, falsamente humilde, ou pretenciosamente dominadora.

Conseqüências prejudiciais da vingança
Os indivíduos que assim procedem, levados pelo sentimento desequilibrado e doentio da vingança, estarão sempre sujeitos a esgares ou convulsões epilépticas, ou mesmo a simples ausências, tornando-se personalidades psicopatas perigosos, traiçoeiras, que sabem simular muito bem os sentimentos íntimos e urdem planos macabros sob o açodar da psique ambivalente, doentia, e com predomínio da faceta mórbida.

Ação salutar de combate

Todo um trabalho psicoterapêutico, deve ser utilizado como proposta de recuperação para pacientes dessa natureza, remontando a uma psicanálise que lhe chegue à infância, de forma a erradicar pela catarse os traumas e conflitos arraigados, procurando assim alterar-lhe a conduta pessoal com base em novos valores que lhes serão apresentados de maneira afável e duradoura, não raro com a ajuda também de terapia psiquiátrica para a remoção de possíveis extratos epilépticos ou esquizofrênicos, que se fazem necessitados de fármacos e barbitúricos específicos.

Ação eficaz do Amor

O amor, que tudo fazem para não desenvolver, é-lhes de grande valia, embora reajam inicialmente com desconfiança, e ambivalência de conduta, gera no enfermo um clima de simpatia e amizade, normalmente difícil de ser estruturada, em razão dos muitos tormentos que o avassalam. Pois todos sabemos que só amor cobre a multidão de pecados.
No Capítulo XII do Evangelho Segundo o Espiritismo, Instruções dos Espíritos, item 9 A Vingança, o Espírito Júlio Olivier, nos esclarece: “Ah! o covarde que se vinga, é assim cem vezes mais culpado do que o que enfrenta seu inimigo o insulta em plena face”.
E continua; “Fora, pois com esses costumes selvagens! Fora com esses processos de outros tempos! Todo espírita que ainda hoje pretendesse ter o direito de vingar-se seria indigno de figurar por mais tempo na falange que tem como divisa: Sem caridade não há salvação! Mas, não, não posso deter-me a pensar que um membro da grande família espírita ouse jamais, de futuro, ceder ao impulso da vingança, senão para perdoar”.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

REFORMA ÍNTIMA


João Batista Armani

Muitos são os motivos que nos levam à Casa Espírita: Pelo amor, pela dor, convite de alguém, hoje pela razão, etc...

E o que acontece? Assistimos palestras, recebemos o passe, tomamos água fluidificada e vamos embora. Somos espíritas apenas dentro da Casa Espírita, estas atitudes irão se repetir por longo tempo. Mas à medida que vamos estudando e compreendendo melhor os ensinamentos espíritas, sentimos que necessitamos nos integrar mais nas ações de reforma moral da sociedade, e nada melhor para fazermos isso do que iniciando por nós mesmos, ou seja, que sejamos espíritas na convivência com o mundo, e isso nos leva à nossa reforma moral.

Todo espírita estudioso caminha neste sentido, porque compreende que o Espiritismo como filosofia busca atingir o seu mais nobre objetivo, que é a reforma moral da criatura.

A grande maioria dos livros escritos pelas vias mediúnicas são ricos de ensinamentos e verdadeiros tratados de saúde mental, com uma terapia baseada no Evangelho de Jesus e na Codificação Kardequiana.

Livros como: “Auto Conhecimento”, “O Homem Integral”, “O Ser Consciente”, “Espelho D’alma”, “Momentos de Renovação” e outros não necessariamente espíritas, nos indicam a importância da Reforma Íntima, ou renovação de atitudes, como fator essencial para alcançarmos o progresso moral e espiritual, visando à nossa felicidade relativa.

Duas afirmativas nos chamam à reflexão:

1. Renovação de atitudes...

Um jovem foi ao médico, queixando-se de dores abdominais. Tendo sido atendido pelo médico, este atencioso, realizou exames, fez entrevistas, e ao final chegou ao diagnóstico: Cirrose hepática, doença do fígado por ingestão de bebida alcoólica. Enfermidade conhecida e facilmente tratável, receitou um tratamento, onde o paciente deveria tomar uma medicação, fazer caminhadas diárias, ao final da caminhada realizar algumas ginásticas. O paciente saiu satisfeito pois veria-se livre de suas dores. Ao final de um mês, retornou novamente o paciente ao consultório médico, onde o doutor o atendeu solícito.

Há doutor! O tratamento não deu resultado, pois continuo a sentir dores. O profissional estranhou, pois tinha confiança em seu diagnóstico, mas voltou a examiná-lo.

- O senhor tomou o remédio que lhe receitei? Sim senhor doutor, certinho, três vezes ao dia!

- O senhor fez as caminhadas para melhorar a circulação? Cinco quilômetros todos os dias doutor!

- O senhor fez as ginásticas como recomendado? Uma hora diária após as caminhadas doutor!

- O senhor parou de beber? Não doutor... doutor continua doendo...

A medicina terrena trata das enfermidades do corpo físico, o Espiritismo trata das enfermidades do espírito (estando ele encarnado ou não). O médico nos escuta, analisa, faz exames e nos recomenda um tratamento. A Casa Espírita, nos escuta, analisa, consola, e também nos recomenda mudanças de atitudes; mas esta vai mais além em nosso benefício, pois nos fornece o passe magnético, a água fluidificada e em alguns casos tratamentos de desobssessões.

Mas assim como no caso do paciente enfermo, se quisermos melhorar, cumpre que façamos a nossa parte mudando as nossas tendências negativas, ou ficaremos indefinidamente tomando remédios, realizando caminhadas, fazendo ginásticas, recebendo passes, tomando água fluidificada...

Emmanuel, em uma de suas mensagens no diz: “O pastor conduz o seu rebanho, mas são as ovelhas que andam com as próprias pernas”.

2. Felicidade relativa...(Em virtude da afirmativa de Jesus – “A felicidade não é deste mundo” Bíblia/Eclesiastes, Evangelho Segundo o Espiritismo/ Capítulo V, item 20). Analisando esta afirmativa do Cristo apenas pela letra que mata e não pelo espírito que vivifica, muitos apressados, inimigos do estudo e cultores do negativismo atribuem que estamos na Terra para sofrer, que este é um vale de lágrimas, aqui só há dores e aflições, etc. Semelhantes afirmativas são no mínimo equivocadas e inconseqüentes, pois espalham o desânimo, pessimismo, descrença, resignação incondicional. A nossa razão nos mostra que podemos e temos momentos felizes mesmo no estágio evolutivo em que nos encontramos, pois quem não fica feliz com um casamento? O nascimento do primeiro filho? Uma formatura? O primeiro emprego? No aniversário, receber aquele presente tão esperado? Jesus, profundo conhecedor, não iria contrariar as Leis Naturais, negando estes fatos. Ele se referia tão somente à felicidade plena, que é atributo apenas dos Mundos Felizes e Angélicos.

Sabemos então que para evoluirmos espiritualmente temos que realizar a nossa Reforma Íntima, mas algumas perguntas nos assaltam:

· O que é Reforma Íntima? Ela deve ser compreendida como a chave mestra para o sucesso de sua melhora interior e, conseqüentemente, da sua felicidade exterior.

· Para que serve? Renovar as esperanças interiores tendo por meta o fortalecimento da fé, a solidificação do amor, a incessante busca do perdão, o cultivo dos sentimentos positivos e a finalização no aperfeiçoamento do ser.

· O que fazer? Realizar atos isolados, no dia-a-dia levando-nos a melhorar as nossas atitudes, alterando para melhor a nossa conduta aproximando-a tanto quanto possível do ideal cristão.

· Por onde começar? Pela auto crítica.

· Como fazer a reforma íntima? Bem .....

(Cairbar Schutel – “Fundamentos da Reforma Íntima” Abel Glaser).

Embora uma linha de pensadores espíritas entenda que os meios de o conseguir é obra e esforço de cada um, as obras literárias estão repletas de indícios e dicas.

Em “O Livro dos Espíritos” no capítulo Conhecimento de si mesmo, à pergunta 919, Allan Kardec questiona aos Espíritos:

- Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?

“Um sábio da antigüidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”

Allan Kardec, profundo conhecedor das deficiências humanas, investiga mais a fundo no desdobramento da questão acima.

919a) - Conhecemos toda a sabedoria desta máxima, porém a dificuldade está precisamente em cada um conhecer-se a si mesmo. Qual o meio de consegui-lo?

“Fazei o que eu fazia, quando vivi na Terra: ao fim do dia, interrogava a minha consciência, passava revista ao que fizera e perguntava a mim mesmo se não faltara a algum dever, se ninguém tivera motivo para de mim se queixar...(SANTO AGOSTINHO).( O Livro dos Espíritos - Allan Kardec)

Parece resultar daí que o conhecimento de si mesmo é, a chave do progresso individual.

(esta é uma tarefa que compete a cada um individualmente).

Ocorre-nos lembrar de Benjamin Franklin, Estadista, escritor e inventor norte americano (inventor do para-raio, Boston 17-01-1706 - Filadélfia 17-04-1790).

Benjamin Franklin era um tipógrafo na Filadélfia homem fracassado e cheio de dívidas, achava que tinha aptidões comuns mas acreditava que seria capaz de adquirir os princípios básicos de viver com êxito, se pudesse apenas encontrar o método certo. Método este encontrado e relatado em seu livro a “Autobiografia de Benjamin Franklin” (1771-1788).

Benjamin Franklin, em sua juventude era um homem de muita inteligência e perspicácia, apesar de ter estudado apenas até o segundo ano primário. Era hávido por conhecimento e lia muito, estudava e escrevia ensaios e poesias. Estudava sobre tudo que lhe interessava, principalmente sobre os grandes vultos da história de todos os tempos. Por isso mesmo tinha uma grande cultura e um conceito moral muito rígido, e cobrava-se muito, bem como, cobrava aos outros a mais correta e ilibada conduta. Em suas reuniões sociais, tecia críticas francas e ácidas sobre todos os deslizes de seus colegas, sentindo um prazer mórbido em derrotar verbalmente aos seus oponentes, fato que ao longo do tempo foi deixando-o só e isolado nas reuniões a que eram “obrigados” a convidá-lo pelo seu cargo político.

Sentindo o peso deste isolamento, em conversa com um amigo muito chegado, comentou esta aversão das pessoas de seu convívio.

Tendo sido localizada a causa deste sentimento de aversão, com uma tenacidade que só as almas valorosas possuem, empreendeu luta acirrada ao combate às suas imperfeições.

Mas por mais que se esforçasse, controlava uma imperfeição mas caía invariavelmente em outra, quando esta outra recebia a sua atenção novo deslize fazia-o tropeçar, e a situação não avançava. Era como se estivesse tentando reter água com as mãos que, não obstante, escorria por entre seus dedos.

O isolamento continuava e até acentuava-se.

Lembrando-se das habilidades bélicas de Napoleão Bonaparte, que adotava a estratégia de “dividir para vencer”, de espírito inventivo, Franklin imaginou um método tão simples, porém tão prático, que qualquer pessoa poderia empregá-lo.

Franklin escolheu treze princípios que julgava ser necessário ou desejável aprender e procurar praticar. Escreveu-os em pequenos pedaços de cartolina, com breve resumo do assunto, e dedicou uma semana da mais rigorosa atenção a cada um desses princípios separadamente. Desse modo, pode percorrer a lista toda em treze semanas, e repetir o processo quatro vezes por ano.

Quando passava ao princípio seguinte não esquecia os anteriores, e cada vez que se pegava em falha, fazia uma pequena marca no verso do cartão, assim no retorno àquele princípio dedicava maior atenção e esforço.

Manteve em segredo o que estava fazendo, pois receava que os outros se rissem dele. (é triste constatar que até aos dias de hoje nos vangloriamos de atos incorretos, falcatruas, engodos, vícios que cometemos, mas temos vergonha de admitirmos que estamos tentando melhorar praticando alguma virtude).

Ao fim de um ano Franklin havia completado quatro cursos, e constatou que já buscava com naturalidade o controle de suas falhas, apesar de estar longe de dominar com perfeição qualquer daqueles princípios.

Este procedimento deu tão certo que Franklin utilizou-o ao longo de toda a sua vida, embora mudando os princípios uma vez já tendo controlado aquela deficiência combatida.

Os treze princípios de Benjamin Franklin eram

(Autobiografia de Benjamin Franklin): (tais como escreveu e na ordem que lhes deu)

Temperança – Não coma até o embotamento; não beba até a exaltação.
Silêncio – Não fale sem proveito para os outros ou para si mesmo; evite a conversação fútil.
Ordem- Tenha um lugar para cada coisa; que cada parte do trabalho tenha seu tempo certo.
Resolução – Resolva executar aquilo que deve; execute sem falta o que resolve.
Frugalidade – Não faça despesa sem proveito para os outros ou para si mesmo; ou seja nada desperdice.
Diligência – Não perca tempo; esteja sempre ocupado em algo útil; dispense toda atividade desnecessária.
Sinceridade – Não use de artifícios enganosos; pense de maneira reta e justa, e, quando falar, fale de acordo.
Justiça – A ninguém prejudique por mau juízo, ou pela omissão de benefícios que são dever.
Moderação – Evite extremos; não nutra ressentimentos por injúrias recebidas tanto quanto julga que o merecem.
Asseio – Não tolere falta de asseio no corpo, no vestuário, ou na habitação.
Tranqüilidade – Não se perturbe por coisas triviais, acidentes comuns ou inevitáveis.
Castidade – Evite a prática sexual sem ser para a saúde ou procriação; nunca chegue ao abuso que o enfraqueça, nem prejudique a sua própria saúde, ou a paz de espírito ou reputação de outrem.
Humildade – Imite Jesus e Sócrates.
A quantos desejarem experimentá-lo, sugere-se analisarem-se, buscando aquelas deficiências mais comuns e corriqueiras, que sabemos possuir, ou as qualidades que não temos mas que gostaríamos de ter, adaptando o método às necessidades e interesses de cada um. Ao alcançar uma conquista, alterar a meta, buscando por outra, que vão surgindo ao longo do tempo, mas cuidando sempre para que não incorram em recaída.

Este não é o primeiro e nem será o último método inventado, que visa à melhoria das pessoas através da reforma íntima, mas com certeza, nos aponta mais uma alternativa palpável e simples, que está ao alcance de quantos tiverem a coragem e a vontade firme de empreender esta luta íntima na escalada evolutiva.

Não é um caminho fácil. Não existe caminho fácil. Mas é um caminho seguro.

Em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, no capítulo XVII, SEDE PERFEITOS, Allan Kardec escreveu:

“Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que emprega para domar as suas más inclinações”.

Na Bíblia em “O Novo Testamento”, Tiago em suas epístolas nos adverte: “Fé sem obras é estéril”.

Que Jesus nos ilumine e guie.

Muita paz.

Bibliografia:
O Evangelho Segundo o Espiritismo. (Allan Kardec).
O Livro dos Espíritos. (Allan Kardec).
O Homem Integral.( Divaldo Pereira Franco – Joanna de Angelis).
Autobiografia de Benjamin Franklin.
Fundamentos da Reforma Íntima. (Abel Glaser – Cairbar Schutel)
Florianópolis

terça-feira, 27 de julho de 2010

FÉ, ESPERANÇA E AMOR





Fé, Esperança e Amor

Um dia, a FÉ, a ESPERANÇA e o AMOR saíram pelo mundo para ajudar os aflitos. Quem das três, seria capaz de realizar o melhor trabalho para a glória de Deus?
À beira da estrada da vida, encontraram um homem pobre que sofria com uma doença que o deixou paralítico desde nascença. Mendigava às almas caridosas a fim de sobreviver. Diante daquela situação, a FÉ tomou a frente da Esperança e do Amor para resolver o caso. Disse:
-Esperem aqui, vou realizar minha obra na vida
daquele infeliz e tirá-lo daquela situação.
A FÉ trouxe ao homem a palavra de Deus e assim ela foi reproduzida no coração dele. Imediatamente aquele homem se rebelou contra aquela situação e usou a FÉ que tinha no coração para determinar
sua cura e, no momento em que orava, seus ossos
se juntaram e tornaram-se firmes.
Finalmente, ficou de pé e saltou de alegria.
Não precisava ficar mais à beira da estrada
para mendigar e muito menos padecer todas
as dores de antes.
Passadas algumas horas, o homem não tinha para onde ir. Nem casa, nem profissão, que lhe desse condições de se estabelecer na vida.
Neste momento a ESPERANÇA sentiu que era chegada a sua vez de trabalhar. Ela o levou para o alto da montanha e fez com que ele visse os férteis campos da terra. Desta maneira, foi mudando o seu coração e o homem entendeu que podia prosperar.
Movido pela força da ESPERANÇA, ele se pôs a caminho. Logo conseguiu um emprego, em uma fazenda próxima, e rapidamente aprendeu a cultivar a terra. Em pouco tempo, tinha juntado o suficiente para comprar seu próprio campo.
Com FÉ e ESPERANÇA, renovava suas forças a cada dia e, em poucos anos, expandiu grandemente seus negócios. Suas colheitas eram exportadas em navio, alcançando portos de todo o mundo.
Ele tinha muitos empregados e se tornou o homem mais rico da terra. A FÉ e a ESPERANÇA estavam satisfeitas com o maravilhoso trabalho que haviam produzido na vida daquele homem.
Então disseram ao AMOR:
- Não te preocupes em realizar tua obra. Vês que, juntas, mudamos completamente a vida deste homem, fazendo-o forte e próspero.
Assim, o Amor partiu em busca de alguém a quem pudesse ajudar. O império daquele homem se expandia por todo o lado, de forma que eram tantas as casas que muitas delas nem sequer conhecia.
Viajou o mundo inteiro e nada mais havia que o surpreendesse. Mas, com o passar do tempo,
o homem foi ficando triste e enfastiado.
- Tenho tudo que um homem possa desejar
- dizia ele - mas ainda me sinto vazio.
A FÉ e a ESPERANÇA conversavam o que podiam fazer para torná-lo forte como antes? Ele agora não precisava do milagre da cura nem da Esperança para crer no sucesso do seu futuro, pois era muito rico.
Então, as duas foram correndo em busca do AMOR , para lhe pedir ajuda.
O AMOR voltou com elas e realizou sua obra no
coração daquele homem.
Ao sentir AMOR , ele passou a entender Deus e a sua mais extraordinária obra. Surgiu a necessidade de ajudar outros com os mesmos problemas que os seus. A FÉ e a ESPERANÇA entenderam que, embora suas obras tivessem sido de grandeza extraordinária, com o passar do tempo, sem AMOR , tudo perdia o sentido.
A FÉ é rápida.... a ESPERANÇA permanece por mais tempo, mas o AMOR ... não acaba nunca!!!
QUE O AMOR ESTEJA SEMPRE EM NOSSOS CORAÇÕES!!!!

domingo, 25 de julho de 2010

ADESÃO A BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL ECUMÊNICA




Espiritualidade é:



alegria,confiança,simpatia,amor,coragem,esperança,doçura,consideração,GRATIDÃO.

Vou escolher um dos temas propostos para falar hoje:
AMOR

O amor resume toda a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. No seu ponto de partida, o homem só tem instintos; mais avançado e corrompido, só tem sensações; mais instruído e purificado, tem sentimentos; e o amor é o requinte do sentimento. Não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior, que reúne e condensa em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. A lei do amor substitui a personalidade pela fusão dos seres e extingue as misérias sociais. Feliz aquele que, sobrelevando-se à humanidade, ama com imenso amor os seus irmãos em sofrimento! Feliz aquele que ama, porque não conhece as angústias da alma, nem as do corpo! Seus pés são leves, e ele vive como transportado fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou essa palavra divina, — amor — fez estremecerem os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo.

O Espiritismo, por sua vez, vem pronunciar a segunda palavra do alfabeto divino. Ficai atentos, porque essa palavra levanta a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, vencendo a morte, revela ao homem deslumbrado o seu patrimônio intelectual. Mas já não é mais aos suplícios que ela conduz, e sim à conquista do seu ser, elevado e transfigurado. O sangue resgatou o Espírito, e o Espírito deve agora resgatar o homem da matéria.

Disse que o homem, no seu início, tem apenas instintos. Aquele, pois, em que os instintos dominam, está mais próximo do ponto de partida que do alvo. Para avançar em direção ao alvo, é necessário vencer os instintos a favor dos sentimentos, ou seja, aperfeiçoar a estes, sufocando os germes latentes da matéria. Os instintos são a germinação e os embriões dos sentimentos. Trazem consigo o progresso, como a bolota oculta o carvalho. Os seres menos adiantados são os que, libertando-se lentamente de sua crisálida, permanecem subjugados pelos instintos.

O Espírito deve ser cultivado como um campo. Toda a riqueza futura depende do trabalho atual. E mais que os bens terrenos, ele vos conduzirá à gloriosa elevação. Será então que, compreendendo a lei do amor, que une a todos os seres, nela buscareis os suaves prazeres da alma, que são o prelúdio das alegrias celestes

quinta-feira, 22 de julho de 2010

A INVEJA FRENTE A DOUTRINA ESPÍRITA




Vivemos em uma sociedade onde as posses materiais ainda são muito valorizadas. Infelizmente, em muitos ambientes, a qualidade do tratamento dispensado às pessoas é proporcional ao que elas tem ou aparentam ter. Exemplos cotidianos não faltam, onde nos deparamos com essa cruel realidade.

Em uma das sessões da Sociedade Espírita de Paris, São Luís realizou, por meio da psicografia, uma dissertação sobre a inveja. Nesta dissertação, que está reproduzida em sua íntegra na "Revista Espírita - Jornal de Estudos Psicológicos" de julho de 1.858, São Luís nos ensina, entre outras coisas, que:

"...a inveja é uma das mais feias e mais tristes misérias de vosso globo."

"Fazei vossa felicidade e vosso verdadeiro tesouro na Terra em obras de caridade e de submissão, as únicas que vos permitirão ser admitidos no seio de Deus."

Finaliza, São Luís, essa comunicação dizendo:

"....a caridade e a constante emissão da fé farão desaparecer todos os males, que se irão um a um, à medida que se multiplicarem os homens de boa vontade que a vós seguirão."

Infelizmente, apesar desta comunicação ter sido dado em 1858, me parece que a nossa sociedade atual ainda está muito longe desse estágio....

Importante entender que esses sentimentos inferiores, se não forem devidamente aniquilados em nós, pelos nossos próprios esforços, nos acompanharão "além-túmulo". Muito interessante, a título de reflexão e aprendizagem, a comunicação dada por um espírito sofredor, relatada em sua íntegra na Revista Espírita de 1.860, onde esse pobre irmão, em resposta ao questionamento das razões que o levariam a "fazer o mal" a um casal, manifesta o seu sentimento de inveja.

Kardec tece então uma observação onde, entre outras coisas diz: "É a inveja que cega e muitas vezes impele a atos mais contrários aos seus interesses. O mesmo ocorre aqui na Terra, onde muitas vezes os maiores erros de um homem, aos olhos de certas pessoas, têm o seu mérito."


A Inveja Frente a Doutrina Espírita publicado 9/09/2009 por SILNEY DE SOUZA em http://www.webartigos.com


TENHAM TODOS UM DIA REPLETO DE LUZ !

quarta-feira, 21 de julho de 2010

VISÃO ESPÍRITA DA SEXUALIDADE


Olá , amigos hoje vamos falar sobre sexualidade, na visão espírita



1. SEXO
1.1 - A EPÍFISE
Para se falar em relação sexual e energia procriadora, faz-se necessário mencionar algumas das informações trazidas até nós pelo Espírito ANDRÉ LUIZ, sobre as funções da Epífise.
Ela reativa as forças criadoras no ser humano aos 14 anos aproximadamente. Permanece no período do desenvolvimento infantil em fase de reajustamento, absorvendo novos ensinamentos e reflexos que são ministrados nesta fase da vida, que farão frente ou somar-se-ão às colheitas das vidas passadas, que ressurgirão, de acordo com a vontade, sob fortes impulsos.

Por este motivo é denominada a glândula da vida Espiritual.

A Epífise funciona como uma usina, fonte geradora de elementos psíquicos ou "UNIDADES FORÇA" necessárias a fecundação das diversas formas da criação. Podendo ser direcionada para fecundação dos mais nobres valores da divindade ou utilizada para a orgia dos prazeres das criaturas terrestres.

1.2 - SEXO E AMOR
Palavras sublimes, tão vulgarmente pronunciadas por mentes insanas, nos meios atuais. O sexo não é patrimônio exclusivo da humanidade terrestre, é tesouro Divino em todos os mundos no Universo infinito. Permanece nas mãos das criaturas humanas, que ainda estão distantes da compreensão e vivência das Leis Divinas, num quadro triste de ignorância, perversão e desequilíbrio. O sexo na existência humana, pode ser um dos instrumentos do amor, sem que o amor seja sexo.

O instinto sexual é força poderosa de atração, unindo os corpos físicos, reencontrando as almas, para resgates de débitos, dirigindo os homens para conquistas e objetivos da Lei Suprema: O AMOR, A FELICIDADE E A HARMONIA. Mesmo com a pobreza de valores íntimos, caminha o homem, embora lentamente, para o objetivo maior do Criador que é o progresso e a perfeição. Não podemos confundir sexo e amor, pois, enquanto o sexo é força instintiva o inconsciente, o amor é energia consciente e espontânea.

O homem em experiências afetivas, costuma confundir energia instintiva sexual como sendo "AMOR", que tem promovido quase todas as uniões de homens e mulheres na terra.
Observamos, constantemente, muitos lares desabados, porque só tinha energia instintiva sexual e nenhum "AMOR". O amor na terra é ainda uma aspiração da eternidade, encravada no egoísmo, nos interesses, na ilusão e na fome de prazeres que fantasiamos como sendo a Celeste Virtude. Desejo e sentimento de posse não significa "AMOR".

Faz-se necessário para um bom relacionamento, buscarmos o que nos ensina O EVANGELHO DE JESUS CRISTO, que "Devemos amar sem nos preocupar em sermos amados".
Para alcançarmos o amor sublime, devemos cultivar a semente da humildade, da bondade, da paciência, do perdão, da tolerância, da indulgência, da ternura, da delicadeza, da renúncia e do entendimento.

Sem os tesouros da fé sincera, essas plantas Divinas não germinarão no canteiro do coração. Antes do tempo, sucumbirão, alastrando a desarmonia, a delinqüência e os crimes, isto sem falarmos na ampliação dos débitos e na adiamento dos resgates anteriores para reencarnações futuras, quase sempre acrescidas de dores e sofrimentos para o nosso bem.

1.3 - SEXO - EXCESSOS E ABUSOS
O sexo tem sido tão aviltado pela maioria dos homens reencarnados na crosta, que o que observamos na atualidade é a inversão dos valores Sublimes da Criação Divina, transformado em rolo compressor para os interesses da indústria do sexo.
É no momento a utilidade mais divulgada e a mais procurada em nossos dias. O interesse é despertar tanto no homem como na mulher a sensualidade, não se importando com os danos que isto certamente vai causar.

a) O que interessa são os lucros a se arrecadar, ao invés de cultivarmos os valores morais sublimes que ainda não conseguimos enxergar.

b) A relação sexual entre a maioria dos homens e mulheres terrestres, se aproxima demasiadamente das manifestações dessa natureza entre os irracionais, sem nenhuma obediência às Leis Divinas.

c) Neste plano de baixas vibrações onde predomina ainda a semi-brutalidade, muitas inteligências admiráveis preferem demorar em baixas correntes evolutivas.

d) A união sexual entre criaturas que já atingiram grandes elevações é muito diferente, traduz a permuta sublime de energias perispirituais, simbolizando o alimento Divino para a inteligência e para o coração e, força criadora não somente de filhos carnais, mas também de obras e realizações generosas da alma para a vida eterna. Lembra-nos ANDRÉ LUIZ, que se refere ao objetivo Santo da Criação e não apenas ao trabalho procriador. A procriação é um serviço que pode ser realizado por aquele que ama, sem ser o objetivo exclusivo das uniões.

O Espírito que odeia ou que cultive os valores contrários à Lei de Deus, não pode criar vida superior em parte alguma.
É lamentável que o homem tenha menosprezado tanto as faculdades criadoras do sexo, desviando-as para os vértices de prazeres infinitos, no desejo incontido de auto satisfazer-se até a prestação das próprias forças, porém todos pagarão pelas faltas que cometerem ao altar Santificado.

Todo ato criador está repleto de sagrados valores da Divindade e são estes valores tão abençoados que por interesse de mentes enfermiças, conduzem impreterivelmente para o abuso e orgias de prazeres.
Assim, homens e mulheres raciocinando numa atmosfera mental caótica, permitem aos obsessores do invisível colocar em prática seus interesses na desintegração familiar e social, bem como, retardar o progresso Espiritual, mantendo a grande maioria das criaturas, que se afinam com seus ideais, sob controle e, com isto, preservam os meios para saciar os seus desejos que não foram corrigidos enquanto encarnado.
Como ninguém foge aos imperativos da Lei de Deus, esses seres, que causaram desvario sexual, resgatarão em reencarnações futuras à duras penas, podendo ser portadores de doenças eminentemente cármicas, a epilepsia, a lepra, a paranóia, a hidrocefalia, o mongolismo e outras moléstias, como também ter como obsessores vários dos que foram prejudicados em caminhadas anteriores.

1.4 - PROSTITUIÇÃO
Igual ocorre a outros maior de prova e expiação das criaturas que habitam a terra, está destinada também a desaparecer na proporção que ocorra o progresso moral e, a humanidade colocar como base os ensinamentos que o Mestre ensinou - "Que não devemos desejar ao próximo o que não queremos para nós". Na Evangelização está a cura das doenças que todos, indistintamente, ajudamos a proliferar.
Até hoje muitos de nós que acusamos a leviandade e a queda dos valores morais, esquecemos de que não havendo cliente não há transação e que o mal só se acabará quando não houver mais quem o alimente. Assim, todos que direta ou indiretamente alimentar a "Máquina do Sexo", seja no relacionamento íntimo remunerado, na procura de artigos promíscuos para saciar instintos inferiores ou na omissão de pensamentos e vibrações dessa natureza estamos contribuindo para o caos que se avizinha.
Com base nos ensinamentos Espíritas e de acordo com o que exemplificou o Amado Mestre Jesus, todos temos menor ou maior parcela de culpa no que estamos vendo, portanto devemos amparar nossos irmãos ou irmãs dos prostíbulos ou mercadores de tão sublime Santuário Divino, que deveria ser utilizado para o progresso das criaturas.

1.5 - ADULTÉRIO
Não podemos apoiar tais faltas, pois o próprio Jesus, após livrar a mulher adultera, prestes a ser apedrejada, devido aos preceitos da época, pediu-lhe que fosse e não pecasse mais.
O ser humano caminha a passos lentos da poligamia para a monogamia, cada homem e cada mulher com maior ou menor anseio sexual, expressando por necessidade de apoio afetivo vem de experiência em experiência, errando e acertando e tornando a errar para acertar com mais segurança até conseguirmos, como filhos de Deus, em evolução na terra, equilíbrio das energias, distribuindo-as para as mais nobres tarefas do amor universal. Com base nos ensinamentos de Cristo, onde mandou os Fariseus enfurecidos que atirassem a primeira pedra quem não tivesse pecado, mostrou-nos que ninguém está isento, nos cardumes da existências aos chamados erros do amor. Se não bastasse os erros de outras existências, quem não teve nesta reencarnação um problema nos transes do coração. Veremos então que adúlteros todos somos, e por isso, temos que ser indulgentes para com todos que caíram nas teias, que contribuímos durante os séculos e, continuamos contribuindo com atos e pensamentos invigilantes, onde formamos atmosfera psíquica necessária para deslizes dos nossos irmãos.

1.6 - HOMOSSEXUALISMO
Levando tal comportamento para além das bases materialistas da grande massa heterossexual existente sobre a terra e seus preconceitos moralistas em bases hipócritas, à luz da reencarnação é perfeitamente compreensível. Com o desenvolvimento da humanidade cresce a quantidade de irmãos, homens e mulheres, somando extensas comunidades em todos os países, clamando por respeito, atenção e igualdade como criaturas humanas.

O Espírito em suas várias encarnações através dos tempos e, confirmando que todos são iguais perante Deus, poderá usar a vestimenta carnal que se fizer necessária, ora masculina ora feminina, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade mais ou menos pronunciada em quase todas as criaturas. Desta forma, a individualidade em Trânsito da experiência feminina para a masculina, demonstrará fatalmente traços do sexo que estagiou por muitos séculos. Claramente compreensível que o Espírito, atendendo aos impositivos regenerativos, poderá reencarnar com um corpo diferente do que não correspondeu perante as aspirações divinas. O homem que abusou das faculdades genésicas arruinando a existência de outras pessoas, com a destruição de uniões construtivas, é forçado a buscar nova posição no renascimento físico, em corpo morfologicamente oposto, aprendendo em regime de prisão, à reajustar os próprios sentidos. Poderá também Espíritos cultos e sensíveis, sequidos de realizar tarefas específicas para a elevação de grupos humanos e conseqüentemente elevar-se também, rogar dos Benfeitores da vida maior que os assistem à utilização de vestimenta corpórea oposta à estrutura psicológica pela qual transitoriamente se definem, protegendo-se desta forma dos arrastamentos irreversíveis no mundo afetivo e terem maiores êxitos nos objetivos almejados.

Observando as tendências homossexuais dos companheiros que estão a caminho no campo de provas e expiações é forçoso que lhes dê o amparo educativo e muito amor.

1.7 - DOENÇAS VENÉREAS
A promiscuidade que os seres humanos cultivam desde os tempos mais remotos e que chega ao cume nos tempos atuais, onde o que impera é a satisfação descontrolada dos instintos sexuais, a níveis tão deploráveis que as pessoas passaram a ser encaradas como material de consumo, perdendo até mesmo a dignidade própria.

Com isso, assistimos com o passar dos tempos o aumento das doenças sexualmente transmissíveis, que quase sempre deixam seqüelas na saúde da sociedade, crianças nascendo com graves problemas de saúde, pessoas idosas pagando os seus erros de quando jovens e assim chegamos pelo acúmulo dos nossos erros, não pela vontade de Deus, mas pelo abuso dos homens, ao mal do século, que a medicina definiu como "AIDS". Mas como Deus é infinitamente bondoso e justo, não interferindo em nosso livre arbítrio, permite que erremos, para que quando emergirmos do erro, tenhamos aprendido a não mais errar.

O mais doloroso de tudo isto é a morosidade do homem acordar e ver a realidade. Ao invés de expor a ferramenta de Deus lhe concedeu para o progresso do Espírito, sem nenhum remorso, ele, em muitos casos leva ao desastre, também, seus próprios filhos e esposa.
A AIDS é o efeito e não a causa e, daí, somos obrigados a admitir que o mal do século não é a AIDS e sim o descontrole sexual que chegou, devido ao mais elevado nível da degradação moral. Como o homem, em sua grande maioria, só acorda pela dor, estamos assistindo diariamente o ceifamento de milhares de vidas. O remédio existe, basta que a humanidade troque promiscuidade por responsabilidade e amor próprio. O Mestre Amado Jesus veio a quase 2.000 anos, plantou a semente e, em pouquíssimos solos ela pode germinar. Na maioria dos seres, ela se encontra encravada necessitando de ser regada, pela menos com uma porção mínima das virtudes que o Divino Mestre nos ensinou. Muitos preferem continuar no erro, fingindo desconhecer as Leis do progresso do ser eterno, pela qual, o Criador espera que todos os seus filhos tenham êxito.

A educação sexual que é levada através do meios de comunicação no combate à AIDS, não ataca diretamente a causa, devido aos interesses comerciais que não permitem uma ação mais eficaz. Ao invés de oferecer preservativos, para evitar a contaminação, deveria ser ministrado um pouco de Evangelização, pois este seria o remédio para curar os males que nós mesmos causamos em nossas múltiplas reencarnações.
Um grande abraço fraterno atodos vocês!!!

terça-feira, 20 de julho de 2010

BONS LIVROS




NOSSO LAR


A VIDA NO MUNDO ESPIRITUAL




Nosso Lar é o nome da colônia espiritual que Andre Luiz nos apresenta neste primeiro livro de sua lavra.


Em narrativa vibrante, o autor nos transmite suas observações e descobertas sobre a vida no mundo espiritual, atuando como um repórter que registra as suas próprias experiências.


Revela-nos um mundo palpitante, pleno de vida e atividades, organizado de forma exemplar, onde Espíritos desencarnados passam por estágios de recuperação e educação espiritual supervisionado por Espíritos superiores.


Nosso Lar nos permite antenar o mundo espiritual que nos aguarda quando abandonamos o corpo carnal pela morte física.






Nosso Lar obteve o primeiro lugar entre os dez melhores livros espíritas publicados no séc XX, segundo pesqisa realizada em 1999 pela Candeia Organização Espírita de Difusão e cultura.






Autor: André Luiz


Psicografado pelo médium: Francisco Cândido Xavier


segunda-feira, 19 de julho de 2010

BLOGAGEM COLETIVA

Olá, hoje vamos postar sobre :
MARCKETING X ESPIRITUALIDADE

Bom já que marcketing dentro de seus inúmeros significados, quer dizer PROPAGANDA,vamos então divulgar algo muito importante, em nossa vida, que é o EVANGELHO NO LAR, já ia mesmo começar uma campanha, a favor disso, então aproveito para começa-la hoje, nessa blogagem coletiva.

Aproveito também para agradecer imensamente, a minha querida amiga do blog http://espiritual-idade.blogspot.com/ , por fazer dessa blogagem coletiva um grande sucesso.

CAMPANHA EVAGELHO NO LAR



Como Fazer o Evangelho no Lar

Primeiro você marca um dia e um horário apropriado para fazer o Evangelho no Lar junto com seus familiares.

Você deverá realizar o Evangelho sempre todas as semanas. Um dia por semana está bom. Escolha um dia e horário e comece desde já. Procure também fixar este dia e horário.

Não há um tempo pré-estabelecido para se fazer o Evangelho no Lar. Caso seja uma ou duas pessoas o ideal seria fazer entre 15 a 20 minutos. Caso exceda o número de participantes este tempo poderá ser estendido.

Prece Inicial: Iniciamos com uma simples e espontânea prece. Silenciamos dentro de nós mesmos e buscamos em nossa mente aquela paz interior, equilibrando assim nossa aura, sintonizando-nos com o Plano Maior e pedimos:

“Olá meus amigos, meus irmãos. Sejam todos bem-vindos ao evangelho de amor. Desde já agradecendo a presença de nossos amigos espirituais, dos anjos consoladores e de nossos anjos guardiães que já estão aqui para nos auxiliar em mais um Evangelho no lar ”.

Leitura do Evangelho: Fazer a leitura de um pequeno trecho do Evangelho, com voz normal, claramente, para que todos possam entender e comentar. O Evangelho poderá ser aberto ao acaso ou mesmo ser estudado seqüencialmente.

Comentários sobre o texto lido: Os comentários são breves, feitos por todos, e cada um expõe o que entendeu da leitura, com simplicidade, sem fugir do assunto.

Vibrações: eis o ponto culminante da reunião, onde passamos para a condição de doadores. Vibrar é doar, e todos nós temos algo de bom a dar em favor do próximo. Um bom pensamento, uma palavra de carinho, um sentimento de bem que enviamos é doação, é caridade.

A importância da vibração está no impulso mental que é dado na vontade firme e sincera de querer ajudar, na dedicação e amor aos semelhantes e no poder de fé ardente e confiante na ajuda do Alto.

Enquanto uma pessoa faz as vibrações, os outros, em pensamento, vão envolvendo mentalmente, neste clima radiante, as pessoas e locais que estão sendo mencionadas.

Prece de encerramento: Ao final do Evangelho, faça uma prece simples e expontânea, agradecendo ao Plano Superior e aos Amigos Espirituais que deram sustentação ao Evangelho no Lar, num clima de paz, amor e harmonia.

PARTICIPEM DESTA CAMPANHA !!!

domingo, 18 de julho de 2010

SELINHO

Estou muito feliz, por ter recebido este selinho, de minha amiga querida, orvalho do ceu, do blog :
http://espiritual-idade.blogspot.com/
Amiga, que mensagem maravilhosa que você nos deixou em seu blog, vou entrar nessa tanbém e apublicarei aqui em meu cantinho com muito carinho.



Uma professora de Nova York decidiu honrar cada
um de seus alunos que estavam por se graduar no
colegio, falando-lhes da marca que cada um deles
havia deixado.
Chamou cada um dos estudantes à frente da
classe, um a um. Primeiro, contou a cada um como
haviam deixado marca na vida dela e na da turma.
Logo presenteou cada um, com uma faixa azul,
impressa com letras douradas, na qual se lia,
“Quem sou deixa marca.”
Por fim, a mestra decidiu fazer um projeto de aula
para ver o impacto que o reconhecimento teria na
comunidade.
Deu a cada aluno mais três faixas azuis e lhes pediu
que levassem adiante esta cerimônia de
reconhecimento. E que deveriam acompanhar os
resultados, ver quem premiou quem, e informar à
turma no final de uma semana.
Um dos alunos foi ver um jovem executivo
de uma indústria próxima e o premiou por tê-lo
ajudado com o planejamento de sua carreira. Deu-
lhe uma faixa azul, e colou-a em sua camisa.
Em seguida deu-lhe as duas faixas extras e lhe disse:
“Estamos fazendo em aula um projeto de...
‘reconhecimento’, e gostaríamos que você encontrasse
alguém a quem premiar e lhe desse uma faixa azul.”
Mais tarde, nesse mesmo dia, o jovem executivo foi
ver seu chefe que tinha reputação de ser uma
pessoa amargurada, e lhe disse que o admirava
profundamente por ser um genio criativo.
O chefe pareceu ficar muito surpreso.
Então o jovem executivo lhe perguntou se
ele aceitaria o presente da faixa azul e se
lhe dava permissão de colocá-la em sua
camisa.
O chefe disse: “Bem…claro!” Então o jovem
executivo pegou uma das faixas azuis e a colocou
no casaco do chefe, bem sobre seu coração…
…e oferecendo-lhe a última faixa, perguntou:
“Poderia pegar esta faixa extra e passá-la a alguém
mais a quem queira premiar?”
“O estudante que me deu estas faixas está fazendo um
projeto de aula, e queremos continuar esta cerimonia de
reconhecimento para ver como vai afetar as pessoas.”
Nessa noite, o chefe chegou em casa, sentou- se com seu
filho de 14 anos, e lhe disse: “Hoje me aconteceu algo
incrível!”
“…estava no meu escritório e um de meus
empregados veio e me disse que me admirava;
então me deu uma faixa azul por me considerar
um genio criativo.”
“Imagina! Ele pensa que eu sou um genio criativo!
Logo me pôs uma faixa azul que diz:
‘Quem sou deixa marca.’ ”
“Deu-me uma faixa extra e me pediu que encontrasse alguém
mais a quem premiar. Quando eu estava dirigindo para casa
esta noite, comecei a pensar a quem poderia premiar com
esta faixa, e pensei em ti. Quero premiar a ti.”
“Meus dias são muito agitados
e quando venho para casa, não te dou muita
atenção; grito contigo por não tirar boas notas
e pela desordem em teu quarto…”
“Por isso, esta noite, só quero sentar-me aquí e
…bem… te dizer que és muito importante para mim.”
“Tu e tua mãe são as pessoas mais importantes em
minha vida. És um grande garoto e te amo muito!”
O garoto surpreendido começou a soluçar e a chorar,
e não conseguia parar. Todo o seu corpo tremia.
Olhou para seu pai e entre lágrimas lhe disse: “Papai,
momentos atrás me sentei em meu quarto e escrevi
uma carta para ti e para mamãe, explicando porque
tinha tirado minha vida, e lhes pedia que me
perdoassem.”
“Ia me suicidar esta noite depois de vocês terem
dormido. Eu pensava que vocês não se importavam
comigo.”
“A carta está lá em cima, mas não creio que eu vá precisar
dela, depois de tudo o que conversamos.”
Seu pai subiu ao segundo piso e encontrou a
carta, sincera e cheia de angústia e dor.
No dia seguinte, o chefe regressou ao trabalho
totalmente modificado. Já não estava amargurado, e
se empenhou em fazer todos os seus empregados
saberem que cada um deles faz a diferença.
Por outro lado, o jovem executivo ajudou muitos outros jovens a
rem suas carreiras, inclusive o filho do chefe,
a se esqueceu de recordar-lhes que
eles deixavam marcas em sua vida.
Ainda mais, o jovem e seus
companheiros de classe aprenderam
uma lição muito valiosa.
“Quem és, deixa marca”.
Por favor, quero que saibas que
tu és importante
ou não terias recebido isto.
Estou passando a faixa
azul para ti.
E o jovem rapaz e seus companheiros de classe
aprenderam uma lição muito valiosa:

Quem és deixa marca.
Que tenhas um dia
maravilhoso e saibas
que alguém hoje
pensou em ti!

Agora, quero dizer a todos os meus amigos, que não indicarei blog nenhum ,ou seja ,indicarei, sim, todos os meus amigos, a pegarem este selinho que é uma doçura,fiquem todos, com nosso pai celestial

QUEM É DEIXA MARCA, CONTINUEM, GRANDE ABRAÇO FRATERNO A TODOS!!!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

LIVROS

O céu pode esperar

Depois da morte de Alexandre o filho de quem amva tanto, Pedro perdeu a vontade de viver.
Mônica, sua esposa, apaixonou-se por outro homem. Sua filha, aos dezesseis anos, está grávida.Arrasado, Pedro quer acabar com sua vida, mas, tempos atrás, prometeu ao filho que não cometeria suicídio. Agora, determinado a morrer, resolve ajudar aqueles que estão em perigo, na esperança de encontrar a própria morte sem quebrar seu juramento...
Estilo inconfundível, agradável e envolvente, o Espírito Antônio Carlos revela a surpeendente história de Pedro, seus momentos de dúvida, seus acertos e desacertos.Episódios temperados com humor e repletos de ensinamentos espirituais revelam que o céu pode esperar queles que fazem o bem na Terra, praticando o amor, a abnegação e a fraternidade.

Romance do espírito: Antônio Carlos
Psicografado por: Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho

quarta-feira, 14 de julho de 2010

SÚPLICA DA CRIANÇA

SÚPLICA DA CRIANÇA

Senhor!
Disseram que os homens que me queriam tanto, mas ao atingir-lhes a casa , não dialogaram comigo, segundo as minhas nescessidades.
Quase todos me oferecem um berço enfeitado, mas poucos me deram o coração.
Afirmam que devo procurar a felicidade, entretanto, não sei como fazer isso, se os vejo a quase todos sofrendo e rebelando-se por não aceitarem as disciplinas da vida.
Escuto-lhes as lições de paz, contudo, acompanho-lhes as rixas em vista de estarem sempre exigindo o maior quinhlão de recursos da terra.
Recomendam-me buscar a alegria, mas, muitas vezes, observo que está misturado de lágrimas o leite que me estendem
Erguem palácios para mim, no entanto, entre as paredes dessas mansões coloridas e belas, renovam, a cada dia, reclamações e queixas que não sei compreender, nem registrar.
Rsplicam que preciso praticar o perdão e , ao mesmo tempo, muitos me mostram como exercitar a vengança.
Senhor!
Que será de mim, beste grande mundo que construíste antre as estrelas, sempre adornado de flores e aquecido de Sol, se os homens me abandorarem?
Fazei que reconheçam que dependo deles como o fruto dapende da árvore. E, tanto quanto seja possível, dize-lhes, Senhor, que terei comigo apenas o que me derem e que posso ser, enquanto estiver aqui, unicamente o que eles são.
MEIMEI
Psicografia: Chico Xavier
Livro: "Antalogia da criança"

terça-feira, 13 de julho de 2010

Selinho


Olá queridos(as) amigos(as)
Encontrei você
Encontrei você!
Entre cabos ,fios , satélites e conexões,
Encontrei você...
Jamais poderia imaginar que sem sair de casa,
amigos, eu teria...
Descobri aqui um outro mundo,
um mundo que prescinde de toques, cheiros,
mas que não me impede de viver as mesmas emoções de meu mundo real...
Amizades sinceras nasceram aqui,
E você é uma delas, por quem nutro,
um carinho muito especial.
Que possamos por muito tempo desfrutar do encanto desse mundo fantástico.
Conte sempre comigo, com meu carinho e minha amizade.
Juntas estaremos sempre ou até que a conexão nos separe.
Esta é a pior hora como diz minha amiga Valéria, mas lá vai, os blogs escolhidos são:
Bom pessoal, vou deixar esse meu selinho, para todos os amigos que me seguem, fiquem a vontade para levá-lo ,ficarei muito feliz ao vê-lo em seu blog, muitos beijos e abraços fraternos a todos(as).
Dany Garcia.

domingo, 11 de julho de 2010

BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL ECUMÊNICA


Espiritualidade é...
Sentir profundamente a dor de qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo.
Escasseia, na atual conjuntura terrestre, o sentimento da compaixão. Habituando-se aos próprios problemas e aflições, o homem passa a não perceber o sofrimento do seu próximo.
Mergulhado nas suas nescessidades, fica alheio as do seu irmão, as vezes resguardando-se, numa couraça de indiferença, a fim de poupar-se a maior soma de dores.
Deixando de interessar-se pelos outros, esquece-se dele, e a vida social não vai além das superficialidades imediatistas insignificantes.
Empedernido o sentimento da compaixão, a criatura avança para a impiedade e até poara o crime.
Olvida-se da gratidão aos pais e aos benfeitores, tornando-se de feitio soberbo, no qual a presunção domina com arbitrariedade.
Movimentando-se na multidão, o indivíduo que foge da compaixão distancia-se de todos, pensando e vivendo exclusivamente para seu ego e para os seus. No entanto sem um relacionamento salutar, que favorece a alegria e a amizade, os sentimentos se deterioram, e os objetivos da vida perdem sua alta significação, tornado -se mais estreitos e egoístas.
A compaixão é uma ponte de mão dupla, propiciando o sentimento que avança em socorro e o que avança em aflição.
È o primriro passo para a vigência ativa das virtudes morais, abrindo espaço para a paz e o bem- estar pessoal.
O individualismo é-lhe a grande barreira, face a sua programação doentia,estabelecida nas bases do egocentrismo, que impede o desenvolvimento das colossais potencialidades da vida, jacentes em todos os indivíduos
A compaixão auxilia o equilíbrio psicológico, por fazer que se reflexione em torno das ocorrência que atinge a todos os transeuntes da experiência humana.
È possível que este sentimento não resolva grandes problemas. Nem execute excelentes programas. Não obstante, o simples desejo de auxiliar, proporciona saudáveis disposições físicas e mentais, que se transformarão em recursos de socorro nas próximas oportunidades.
Mediante o hábito da compaixão, o homem aprende a sacrificar os sentimentos inferiores e a abrir o coração.
Pouco importa se o outro, o beneficiado pela compaixão, não o valoriza, nem a reconheça, ou sequer venha a identificá-la. O essencial é o sentimento de edificação, o júbilo da realização por menor que seja, naquele que a experimenta.
Expandir esse sentimento é dar significado a vida.
Quando se é capaz de de participar dos sofrimentos alheios, os próprios não parecem tão importantes e significativos.
Repartindo a atenção com os demais, desaparece o tempo vazio para as lamentações pessoais.
Graças a compaixão, o poder de destruição humana sede lugar aos anseios da harmonia e da beleza na Terra.
Desenvolve este sentimento de compaixão para com o teu próximo, o mundo, e, compadecendo-te das suas limitações e deficiências, cresce em ação ao rumo do grande poder.
Autor: Joanna de Ângelis
Psicografia de:Divaldo P. Franco
Da obra : Responsabilidade
Um grande abraço fraterno a todos(as)
Que Deus nosso grande pai nos ajude,
para que cada dia possamos ser melhores.
Que a paz do Senhor esteja sempre junto de todos nós.
Agradeço ,pela oportunidade de participar mais uma vez dessa blogagem coletiva ,que vem nos falar, de coisas tão belas e importantes, para nossa passagem no plano terrestre.Beijos mil!!!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Bons livros


Reconciliação
Romance de : Antônio Carlos
Psicografado por : Vera Lucia Marinzeck de Carvalho
Eis aqui, uma história comovente e esclarecedora que vai encantá-lo da primeira à última página.
Antônio Carlos, seu autor, reúne todos os elementos capazes de cativar, narrando uma história empolgante, de forma correta, clara e simples. A trama do romance prende a atenção, envolvendo na leitura, fazendo com que participemos da do relato e sentindo toda a emoção transmitida pelo autor.
Tudo se inicia com um duplo assassinato: o garoto Raul e sua mãe são brutalmente assassinados por Manuel, pai e esposo das vítimas.
Raul ao recordar após sua morte, não sente ódio pelo pai assassino. Já Manuela fica presa ao ambiente familiar imantada pelo ódio contra o marido.
Na colônia espiritual, Raul recorda-se de suas vidas passadas, vindo a saber que também ele já tirara antes a vida do mesmo Manuel. Eram eles todos espíritos comprometidos entre si. Raul, sentindo grande desejo de reconciliar com seu pai, solicita permissão e reencarna novamente como filho de Manuel. Na adolescência, Raul (agora Ricardo), ao tentar salvar seu pai de um incêndio, morre tragicamente. Manuel, revoltado com a tragédia, pensa em suicídio. Raul/Ricardo, presta socorro espiritual a Manuel e a toda família. Com muito amor, consegue finalmente promover a Reconciliação com seu ex-adversário Manuel, e redimir todo o grupo.
Uma leitura maravilhosa, repleta de emoções.
QUE DEUS NOSSO PAI DE AMOR NOS ABENÇÕE A TODOS!!!!
GRANDE BEIJO NO ♥ TE TODOS VOCÊS!!!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

PRINCÍPIOS BÁSICOS DO ESPIRITISMO ÚLTIMA PARTE







A Lei Moral




Disse o Cristo:"Ninguém poderá ver o Reino dos Céus se não nascer de novo".Referia-se ao nascimento do corpo e ao renascimento moral das criaturas, isto é, o nascimento pela" água e pelo espírito". Daí sabermos que a vida é sempre uma nova oportunidade de reconciliaç~so com os ideais superiores do bem e da verdade.




Seguir o exemplo vivo de Jesus deve ser o ideal de todo cristão sincero.




Não adianta você dizer que pertence a esta ou àquela religião.Não adianta permanecer orando o tempo todo .




O importante é a prática, é a vida de todos os dias, porque, como disse Tiago:"A FÉ SEM OBRAS É MORTA".




"AMAI-VOS UNS AOS OUTROS"-recomendou Jesus.




E não há outra maneira de amar, se não formos caridosos.Caridade é ser benevolente, paciente, tolerante, humilde. È fazer para os outros o que queremos que nos façam.Como não queremos que nos façam o mal, mas todo bem possível, assim também devemos agir para com eles: familiares, parentes, amigos, estranhos e até inimigos.




A obrigação do cristão é ser um trabalhador do bem, dando sua parte, por pequena que seja, na luta por um mundo melhor.




Podemos fazer tudo isso,cuidando melhor de nossas atitudes, vigiando nosso comportamento diário, sendo mais atenciosos e gentis, vendo, nos outros, mais suas qualidades, e finalmente, sendo mais exigentes para conosco mesmos.




Ajudar o pobre , socorrer o desesperado, assistir ao doente, orientar o desajustado, levar palavras de conforto e esperança ao aflito, divulgar e viver os ensinamentos de Jesus, tudo isso constitui as bases do verdadeiro amor por ele ensinado e exemplificado, há mais de 2.000 anos.




Seguindo as pegadas de Jesus, pelo amor vivo que manifestou ao mundo, Allan Kardec proclama.




"FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO"






As 5 obras básicas de Allan Kardec, cuja publicação foi feita na seguinte ordem:




O LIVRO DOS ESPÍRITOS (1857)


O LIVRO DOS MÉDIUNS (1861)


O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO (1864)


O CÉU E O INFERNO (1865)


A GÊNISE (1868)


MENSAGEM DO DIA
TOLERÂNCIA
Na cruz, diante da multidão inconsciente,
Num ato de puro Amor e renúncia, JESUS pede :
" PAI ,PERDOA-OS, POIS NÃO SABEM O QUE FAZEM".
Mais de 2.000 anos se passaram e ainda encontramos dificuldade em sacrificar o nosso egoísmo e vaidade para que possamos conquistar a sincera tolerância e Amor ao próximo.
QUE DEUS, NOSSO PAI DE AMOR , NOS ABENÇÕE A TODOS!!!
DANY GARCIA


quarta-feira, 7 de julho de 2010

O que me fez uma blogueira?


Sempre gostei de desafios, quando depois de muito caminhar, encontrei a Doutrina Espírita, que por ser, uma fé raciocinada me encantou,passei a frequentar os Centros Espíritas de minha cidade, me firmando em um SEOB (Sociedade Espírita Obreiros do Bem),onde comecei a estudar a Doutrina e fazer o COEM ( Curso de Orientação e Ensino Mediúnico),durante o curso vi que precisava de mais conhecimento e buscava na Net , foi quando pensei -Se eu estou procurando conhecimento, muitas outras pessoas também o estão, porque não aprender ensinando, foi daí que resolvi entrar para o mundo das blogueiras, confesso que estou apanhando um bocado, por não conhecer muito sobre esse novo mundo dos blogs, mas um dia eu chego lá, muitos beijos a todos(as) amigos(as) que estou fazendo aqui.
Espero em Deus que minhas mensagens estejam sendo passadas.
Que Deus nos abençõe a todos!!!

PRINCÍPIOS BÁSICOS DO ESPIRITISMO PARTE VI



lEI DA EVOLUÇÃO

Cada um de nós é um espírito encarnado a caminho de Deus.

A vida na Terra é sempre uma oportuidade de reajustamento no caminho do bem.A escolha nos pertence.Logo,as consequências boas ou más são resultado de nossas escolhas. È a "lei da ação e reação" ,das causas e consequências.

Se agora,estamos sofrendo,podemos concluir que a causa do sofrimento advém de erros anteriores.

Se portanto, fizermos o mal, cedo ou tarde, sofreremos a sua consequência."A cada um segundo as suas obras"-disse Jesus.

Não há céu nem inferno.Existem, sim , estados de alma que podem ser descrios como infernais ou celestiais.Não existem também anjos e demonios,mas apenas espíritos superiores e espíritos inferiores-os bons se tornando melhores e os maus se regenerando.

Se tudo acabasse inapelavelmente após a morte estaríamos todos perdidos,hoje em dia, quase ninguém mereceria ir para o céu de bem aventurança, onde só caberiam os puros,pois, por mais que nos achemos bons,não estamos no patamar celestial para irmos para o céu.

meditemos, nas perguntas abaixo:

-"Como Deus, sendo o Supremo saber, sabendo inclusive o nosso futuro, criaria um filho, sabendo que ele iria para o inferno para toda a eternidade? Que Deus seria esse? Onde a sua bondade infinita e sua misericórdia?"

-"E como ficaria no céu uma mãe amorosa, sabendo que seu filho querido, está ardendo no fogo do inferno?".



Mensagem do dia

"Os nossos benfeitores espirituais, nos esclarece, frequentemente, que a Doutrina espírita formula explicações mais lógicas, mais simples em torno dos ensinamentos do nosso senhor Jesus Cristo, explicações essas, que nós encontramos com muita riqueza de minudências, naos obras codificadas por Allan Kardec. Mas explicam também, que todas as religiões são respeitáveis, e que nossa atitude diante de todas elas, deve ser de extrema veneração, pelo bem que elas trazem para as criaturas humanas e por serem igualmente sustentáculos do bem na comunidade em nome de Deus".
( Chico Xavier)
" Por mim mesmo juro-disse o Senhor Deus-que não quero a morte do ímpio,senão que ele se converta, que deixe o mau caminho e que viva" (EZEQUIEL, cap 33 versículo 11)
Que Deus nosso Senhor nos abençõe a todos!!!
Dany garcia

terça-feira, 6 de julho de 2010

Blogagem Coletiva Espiritual Ecumênica


Gentileza Gera Gentileza
Olá, como é bom sermos gentis;
Dizer Oi!
Bom dia!
Boa tarde!
Boa noite!
Darmos um sorrizo, um aperto de mão, um abraço amigo;
Conselhos construtivos;
Elogiar alguém. È tão bom ouvir : Como você está linda! Não é?
Queridos(as) gentileza gera gentileza, assim como a mágica gera o encanto.
Verás que se usardes sempre de gentileza sua vida se tranformará.
UM GRANDE ABRAÇO FRATERNO A TODOS(AS)
vejam:
Dany garcia

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Auto- análise


Faça sua auto-análise
Inspirada no texto de minha amiga Janetinha, do blog Adote o amor, http://adoteoamor.blogspot.com/ que resolvi colocar aqui este teste:
Você perdoa sempre as ofensas recebidas?
Procura não falar mal dos outros?
Tem paciência para ficar numa fila?
Sente arrependimento quando faz algo errado?
É incapaz de falar palavrão?
Consegue não guardar ressentimentos?
Evita dramatizar suas doênças?
Nunca usa de franqueza exagerada?
Procura não gastar mais do que dispõe?
Visita seus parêntes ou amigos infermos?
Evita queixar-se de tudo e de todos?
Ajuda o próximo sem almejar recompensas?
Consegue vencer sempre seu mau humor?
Você procura falar menos e ouvir mais?
Procura dominar os vícios?
Compreende as limitações do próximo?
Você tem feito preces de agradecimento?
Ou somente pede?
Reflitamos amigos, se realmente estamos nos comportando como nosso irmão maior nos ensinou.
Que Deus nos faça mais humildes, mansos de coração, que brote em cada um de nós a verdadeira caridade.
Que Deus nos abençõe a todos!!!
Related Posts with Thumbnails